31 de dez de 2010

Feliz 2011

Nobres leitores,

O Baluarte Literário entrou em recesso nestas festas de final de ano, mas não poderíamos esquecer de desejar um feliz 2011 a quem tem nos acompanhado desde a criação deste espaço de compartilhamento literário.

Desejamos que 2011 venha repleto de bençãos do Senhor e que seja uma nova chance de cumprir a Sua vontade e corrigir os erros cometidos.

A vocês o nosso muito obrigado pela compainha em 2010 e desejos de que mantenhamos contato em 2011.

Deixamos uma pequena citação do grande poeta Drummond para que você pense um pouco sobre o milagre do ano novo. Até lá!

"Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um individuo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para frente tudo vai ser diferente."

11 de dez de 2010

Vivendo para a Glória de Deus - Uma Introdução à Fé Reformada

O sistema doutrinário conhecido pelo nome de calvinismo é geralmente distorcido ou rejeitado como algo do passado. Contudo, como nos mostra o Dr. Joel R. Beeke e mais oito colaboradores (James Grier, Michael Haykin, Derek Thomas, Ray Lanning, Robert Oliver, Ray Pennings, Nelson Kloosterman e Sinclair Ferguson) neste excelentíssimo tratado, o calvinismo, também conhecido como teologia reformada, é bíblico, teocêntrico, sincero, cativante e prático.

Neste volume, o Dr. Beeke apresenta-nos uma perspectiva bem equilibrada e agradável da tradição reformada (o calvinismo como realmente ele é). Apresenta-nos os elementos básicos da história da teologia reformada e do confessionalismo, bem como o ensino calvinista sobre a salvação, a piedade, o crescimento, a igreja, a pregação, a evangelização, o casamento, a família, a política, a ética e muito mais. Todo o panorama retratado neste livro ajudará a fortalecer, em nosso tempo, a fé reformada confessional e experimental, a grande e central tradição reformada proveniente do melhor calvinismo britânico (puritano e escocês) e holandês (a segunda reforma).

Vivendo para a Glória de Deus é a verdade cristã firme em toda a sua plenitude, beleza e vigor. Se você deseja uma introdução abrangente e bem escrita sobre a fé reformada, este é o livro!

Este livro me mostrou o calvinismo não apenas como um sistema doutrinário e teológico, mas também um sistema prático para a minha vida cristã cotidiana. Os autores me incentivaram a viver uma vida cristocêntrica, por meio de exemplos do próprio João Calvino, dos Puritanos e de outros calvinistas/reformados do passado. Ao ler este livro, o leitor constatará que o calvinismo é o único sistema de crenças que exalta a Deus e que se destaca como um guia permanente para o viver cristão. Soli Deo Gloria!

Onde adquirir: Livraria Fiel

7 de dez de 2010

As Crônicas de Nárnia

Olá, queridos leitores. Estamos a poucos dias para 2011. Geralmente janeiro é o mês escolhido por milhares de brasileiros para as tão sonhadas férias. Então cuidei em selecionar uma excelente leitura para divertir mais ainda seu mês com momentos de reflexão e prazer nas letras.

O livro de hoje é uma coletânea, na verdade. É o volume único de sete livros (sendo que dois deles já chegaram ao mundo da cinematográfica) escritos por ninguém mais, ninguém menos que C. S. Lewis. Embora seja um livro de histórias mágicas, digamos assim, “As Crônicas de Nárnia” revelam em suas entrelinhas a mais bela história da humanidade: a história do Leão da Tribo de Judá (Jesus Cristo) e seu sacrifício vicário em favor de Seu povo.

As histórias são comoventes, prendem a atenção do leitor de maneira que ele passa horas e horas viajando no mundo de Nárnia juntamente com Lewis e seus personagens. Pelo menos foi assim comigo... eu deitava para dormir e não conseguia, imaginando qual era o próximo acontecimento, daí levantava, acendia a luz e ia conferir. Foi assim que eu li 750 páginas em menos de um mês. Quem sabe você não se encantará tanto quanto eu?! Vale a pena tentar!

Onde adquirir: aqui

3 de dez de 2010

ONDE ESTÁ DEUS QUANDO AS COISAS VÃO MAL? – JOHN BLANCHARD (AUDIO-BOOK)

Prezados leitores,

Até aqui, publicamos analises de livros impressos, mas nosso desejo é diversificar o conteúdo, atingindo toda e qualquer literatura que julguemos ser úteis.

Darei hoje o primeiro passo. Este título que descreverei abaixo é um áudio-book, uma das melhores invenções do homem. Os motoristas agradecem.

Um dos motivos que me motivou a escrever sobre esse áudio-book foi minha sugestão anterior: “DESERTOS DA VIDA”, sobre a necessidade de superação humana às dificuldades, a fim de alcançar a maturidade cristã.

Mencionei na postagem anterior que numa experiência pessoal, de passar pelo deserto, estava ciente de que havia propósitos divinos, e que eu os entenderia no final. Porém, é em meio às provações que demonstramos (e demonstrei), muitas vezes, ser demasiadamente humanos: crises de identidade, medo, frustração, e muitos... muitos questionamentos elevados aos céus em forma de “oração”.

Enquanto atravessamos o agonizante deserto, julgamos ser crucial obter as respostas daquilo que não entendemos, mas geralmente são os momentos em que há silêncio nos céus. É nessa delicada situação que estamos mais vulneráveis a tropeçar. Porque o questionador costuma inverter seu papel, e cria as suas próprias respostas.

Os mais neófitos chegam às seguintes conclusões progressivamente, conforme o livro:

1 – O mal e o sofrimento existem no mundo;

2 – Se Deus fosse todo poderoso, Ele poderia impedir o mal e todo o sofrimento;

3 – Se Deus fosse amor, Ele desejaria impedir estas coisas;

4 – Se realmente existisse um Deus todo poderoso e cheio de amor, o mal não existiria;

5 – Portanto, Deus é impotente, sem amor e inexistente.

“Onde está Deus quando as coisas vão mal”, com certeza te fará rememorar seus momentos de demasia humana de algum período de sua vida. Antes que sobrevenha outro deserto, e você caia na mesma teia dos questionamentos, ouça esse áudio-book. Ele não explora apenas momentos difíceis da vida individual. Há capítulos que tratam de desastres naturais, desastres planejados (como o 11 de setembro), e acidentes.

É certo que Deus revela ao homem aquilo que é importante saber, outras coisas ficarão no obscuro, porque Ele é Deus e nós somos humanos. Não inverter esses papeis já é um excelente 1º passo. Convido-te então a conhecer algumas respostas que nos foi dado saber, ouvindo este áudio-book, disponível gratuitamente neste link:

29 de nov de 2010

Manual do Pentateuco - Victor P. Hamilton


Shalom Leitores,

A indicação literária que quero fazer hoje, é destinada mais a estudantes de teologia, porém não restringe somente a nós. Muitos curiosos e adeptos de uma boa leitura estão convidados a deliciar-se nesta boa leitura!

"Manual do Pentateuco" é um livro escrito pelo Rev. Victor Hamilton que, com muita meticulosidade e atenção equilibrada a todos os cinco primeiros livros das Sagradas Escrituras, transmite a nós, leitores, dados importantes e muitas bibliografias úteis e atualizadas, informando ainda diversos pontos de vistas de renomados escritores teológicos.

A obra não é apenas um ensaio de conteúdos bíblicos, mas oferece também resumos concisos e profundos, com articulações de estudos modernos sobre o Pentateuco. O formato é agradável e com muitas subseções que orientam a leitura.

O livro é altamente confiável em termos doutrinários e muito interessante de ser lido. Vale a pena.

Adquira já o seu:

Ana Claudia de Souza

24 de nov de 2010

A Arte Expositiva de João Calvino


João Calvino atuou como líder da Reforma Protestante, teólogo, professor, comentador das Escrituras, e fez muitas outras coisas. Entretanto, conforme argumenta o Dr. Steven J. Lawson, o reformador genebrino era, acima de tudo, um pregador. A principal ocupação de Calvino era aquela que foi ordenada ao ministro: proclamar a palavra de Deus para ensinar, repreender, exortar e corrigir, e foi a esta função que ele se dedicou durante seus vinte e cinco anos como pastor em Genebra, na Suíça.

Em A Arte Expositiva de João Calvino, o autor estuda o comprometimento, as práticas e as técnicas que tornaram Calvino um pregador tão eficiente. Steven habilmente nos presenteia com trinta e dois princípios que fizeram de Calvino o melhor pregador da Reforma Protestante.

Ninguém que lê este livro deixa de perceber o quanto somos devedores ao ‘Reformador de Genebra’. Lawson consultou as melhores fontes de informações da atualidade e extraiu os principais aspectos da pregação do reformador. Para reforçar seus argumentos, Steven oferece exemplos de sermões do próprio Calvino, comentários sobre seus escritos e citações dos estudiosos da Reforma.

A Arte Expositiva de João Calvino contém muitas riquezas bíblicas e teocêntricas, bem como sugestões práticas para pregadores iniciantes (como eu) e também aos mais experientes. Steven Lawson fornece um verdadeiro curso de homilética prática. No final, os pastores e pregadores da atualidade são convocados a seguirem o exemplo de Calvino quanto ao zelo na pregação da Palavra.

20 de nov de 2010

A Fuga

Nos meus tempos de adolescência (parece que foi ontem, rsrrsrs), enquanto passeava entre as estantes do escritório do Pb. Manoel Canuto, lá na CLIRE (Centro de Literatura Reformada), em Recife, dei de cara com o livro “A Fuga”, de A. Van der Jagt, traduzido e divulgado pelo Projeto Os Puritanos. Li a sinopse e não resisti... tratei logo de adquirir um.

Quando cheguei à casa de meu avô paterno, que na época já passava de seus 90 anos, encontrei o mesmo livro na prateleira de sua estante. Achei engraçado que um livro ‘infantil’ estivesse ali. Vovô olhou pra mim, sorriu e disse: “esse livro é muito bom! Já li 6 vezes”. Corri pra casa e fui ler o meu, rsrsrs. Descobri que é um livro para todas as idades!

O livro narra a história, baseada em fatos reais, de três huguenotes fugindo à perseguição na França. Huguenotes... assim eram chamados os militantes da Reforma Protestante naquele país (no séc. XVII). Os adolescentes (dois irmãos separados na infância com a morte dos pais e mais um amigo que encontraram pelo caminho) fogem rumo à Holanda num espírito destemido e disposto a passar por todos os obstáculos que viessem, contanto que pudessem louvar a Deus com liberdade cristã.

Os cristãos, no Brasil, estão na iminência de passar por várias perseguições (ou já estamos passando?) e a nossa fé será duramente testada. Creio que histórias como a de John, Camille e Manette servirão de encorajamento para muitas crianças, jovens e velhos que desejarem seguir Cristo até a morte, se preciso for, “como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Romanos 8.36,37).

Onde adquirir: aqui

19 de nov de 2010

[Manifesto] UNIVERSIDADE MACKENZIE: EM DEFESA DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO RELIGIOSA

A Universidade Presbiteriana Mackenzie vem recebendo ataques e críticas por um texto alegadamente “homofóbico” veiculado em seu site desde 2007. Nós, de várias denominações cristãs, vimos prestar solidariedade à instituição. Nós nos levantamos contra o uso indiscriminado do termo “homofobia”, que pretende aplicar-se tanto a assassinos, agressores e discriminadores de homossexuais quanto a líderes religiosos cristãos que, à luz da Escritura Sagrada, consideram a homossexualidade um pecado. Ora, nossa liberdade de consciência e de expressão não nos pode ser negada, nem confundida com violência. Consideramos que mencionar pecados para chamar os homens a um arrependimento voluntário é parte integrante do anúncio do Evangelho de Jesus Cristo. Nenhum discurso de ódio pode se calcar na pregação do amor e da graça de Deus.

Como cristãos, temos o mandato bíblico de oferecer o Evangelho da salvação a todas as pessoas. Jesus Cristo morreu para salvar e reconciliar o ser humano com Deus. Cremos, de acordo com as Escrituras, que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23). Somos pecadores, todos nós. Não existe uma divisão entre “pecadores” e “não-pecadores”. A Bíblia apresenta longas listas de pecado e informa que sem o perdão de Deus o homem está perdido e condenado. Sabemos que são pecado: “prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, contendas, rivalidades, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias” (Gálatas 5.19). Em sua interpretação tradicional e histórica, as Escrituras judaico-cristãs tratam da conduta homossexual como um pecado, como demonstram os textos de Levítico 18.22, 1Coríntios 6.9-10, Romanos 1.18-32, entre outros. Se queremos o arrependimento e a conversão do perdido, precisamos nomear também esse pecado. Não desejamos mudança de comportamento por força de lei, mas sim, a conversão do coração. E a conversão do coração não passa por pressão externa, mas pela ação graciosa e persuasiva do Espírito Santo de Deus, que, como ensinou o Senhor Jesus Cristo, convence “do pecado, da justiça e do juízo” (João 16.8).

Queremos assim nos certificar de que a eventual aprovação de leis chamadas anti-homofobia não nos impedirá de estender esse convite livremente a todos, um convite que também pode ser recusado. Não somos a favor de nenhum tipo de lei que proíba a conduta homossexual; da mesma forma, somos contrários a qualquer lei que atente contra um princípio caro à sociedade brasileira: a liberdade de consciência. A Constituição Federal (artigo 5º) assegura que “todos são iguais perante a lei”, “estipula ser inviolável a liberdade de consciência e de crença” e “estipula que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política”. Também nos opomos a qualquer força exterior – intimidação, ameaças, agressões verbais e físicas – que vise à mudança de mentalidades. Não aceitamos que a criminalização da opinião seja um instrumento válido para transformações sociais, pois, além de inconstitucional, fomenta uma indesejável onda de autoritarismo, ferindo as bases da democracia. Assim como não buscamos reprimir a conduta homossexual por esses meios coercivos, não queremos que os mesmos meios sejam utilizados para que deixemos de pregar o que cremos. Queremos manter nossa liberdade de anunciar o arrependimento e o perdão de Deus publicamente. Queremos sustentar nosso direito de abrir instituições de ensino confessionais, que reflitam a cosmovisão cristã. Queremos garantir que a comunidade religiosa possa exprimir-se sobre todos os assuntos importantes para a sociedade.

Manifestamos, portanto, nosso total apoio ao pronunciamento da Igreja Presbiteriana do Brasil publicado no ano de 2007 LINK http://www.ipb.org.br/noticias/noticia_inteligente.php3?id=808 e reproduzido parcialmente, também em 2007, no site da Universidade Presbiteriana Mackenzie, por seu chanceler, Reverendo Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes. Se ativistas homossexuais pretendem criminalizar a postura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, devem se preparar para confrontar igualmente a Igreja Presbiteriana do Brasil, as igrejas evangélicas de todo o país, a Igreja Católica Apostólica Romana, a Congregação Judaica do Brasil e, em última instância, censurar as próprias Escrituras judaico-cristãs. Indivíduos, grupos religiosos e instituições têm o direito garantido por lei de expressar sua confessionalidade e sua consciência sujeitas à Palavra de Deus. Postamo-nos firmemente para que essa liberdade não nos seja tirada.

Este manifesto é uma criação coletiva com vistas a representar o pensamento cristão brasileiro.
Para ampla divulgação.

Portal da Igreja Presbiteriana do Brasil
www.ipb.org.br

17 de nov de 2010

Lei e Graça – Mauro Meister

Shalom! Leitores,

Hoje, quero indicar-lhes um livro que poderá esclarecer-lhes umas verdades que, às vezes por ignorância, não as conhecemos, levando-nos, assim, a cair no erro da heresia. Nesse caso, especificamente, refiro-me à uma antiga heresia chamada antinomismo, que é a negação da lei em função da graça.

Para muitos cristãos modernos, é muito difícil a associação “Lei e Graça” nos dois testamentos que dividem a Bíblia Sagrada. O autor Rev. Mauro Meister, pastor reformado, afirma que, em pesquisas feitas com estudantes de seminários e alunos de escola bíblica, é eminente a errônea relação: Lei para o Antigo Testamento e Graça para o Novo Testamento.

Mas, como corrigir esse aparente paradoxo? Como corrigir essa visão distorcida?
É com essa preocupação de ajudá-los a retificar esse possível erro em vossas crenças, que lhes encorajo a, cuidadosamente, ler esta importante obra.

“As implicações da forma como entendemos a relação entre lei e graça vão muito além do aspecto puramente intelectual. Esse entendimento vai, na verdade, determinar toda a forma como alguém enxerga a vida cristã e que tipo de ética esse cristão irá assumir em sua caminhada.”

ADQUIRA O SEU: http://www.erdos.com.br/detalhe_pro2.php?id=6630

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele” (João 14.21).

10 de nov de 2010

A Mortificação do Pecado - John Owen

Quando o Celso me convidou para fazer parte desse blog, pensei ter sido um engano. “Celso, gosto de ler, mas não sou um leitor exemplar e muito menos um bom crítico ou escritor”, disse a ele. Ele respondeu: “Mas por que não escrever sobre o que gosta e estimular a si mesmo e a outros a lerem mais?”

Ele tinha razão. E esse é o meu objetivo. Espero, de alguma maneira, ajudar leitores irregulares como eu a lerem mais e melhor.

Qual o livro mais importante que li? Apesar de não entrar na categoria de um livro comum, a Bíblia, obviamente, me veio à mente. E não só na minha, mas na dos outros autores deste blog também, e, por isso, o primeiro texto é sobre ela. O segundo mais importante que li foi “O Peregrino”, mas este também já possuía uma recomendação aqui. Então aí vai uma recomendação do terceiro livro mais importante que já li.

Começo pelo autor: John Owen. Considerado por muitos o mais importante teólogo de língua inglesa. Colocam-no assim próximo a homens como Agostinho, Calvino e Lutero. Mas alguém poderia se perguntar: “Por que eu deveria ler um teólogo puritano que morreu há mais de 300 anos?

Vou responder com um trecho do livro:

“Suponhamos que alguém seja cristão verdadeiro, porém encontre dentro de si um pecado poderoso, que o faça cativo de sua lei pecaminosa, consuma-lhe o coração com angústia, confunda-lhes os pensamentos, enfraqueça a alma no tocante aos deveres da comunhão com Deus, perturbe-lhe a paz, quem sabe lhe macule a consciência e o exponha ao endurecimento mediante o engano do pecado. O que deve fazer esse indivíduo? Que procedimento adotar, e nele insistir, para a mortificação desse pecado, dessa concupiscência, perturbação ou corrupção?” (OWEN, John. A Mortificação do Pecado, Ed. Vida, p.16)

Quer saber a resposta? Então leia! Como você pode ver ele é, além de tudo, prático. Talvez por ser também um pastor. Quando li esse trecho pensei: “tenho que ler esse livro, tenho que divulgá-lo”. Foi o que fiz, comprei cópias para mim e para amigos que, assim como eu, estavam ansiosos por algo substancial, bíblico e prático que os ajudassem a não apenas lutar contra o pecado, mas a matá-lo! Não nos arrependemos! Recomendamos!

Agora o leitor deve ir com paciência, pois irá encontrar um estilo de escrita diferente, talvez não tão leve quanto a maioria dos escritos atuais. Mas pode ter certeza que ao se esforçar para escavar nessa mina, vai poder encontrar muitos diamantes.

Você pode comprá-lo pela Editora Vida . Existe também a versão da Editora PES que publicou juntamente com a obra sobre Tentação.

6 de nov de 2010

Calvinismo - As Antigas Doutrinas da Graça

O famoso evangelista batista Charles H. Spurgeon, viveu em em uma época semelhante a nossa, onde prevaleceu uma insatisfação para com o calvinismo, não hesitava em declarar que não concebia pregação do evangelho que não fosse calvinista:

"Minha opinião pessoal é que não há pregação de Cristo e este crucificado, a menos que se pregue aquilo que atualmente se chama calvinismo. É cognome chamar isso de calvinismo; pois o calvinismo é o evangelho e nada mais. Não creio que possamos pregar o evangelho... a menos que preguemos a soberania de Deus em sua dispensação da graça; e também a menos que exaltemos o amor eletivo, imutável, eterno, inalterável e conquistador de Jeová; como também não penso que podemos pregar o evangelho, a menos que o alicercemos sobre a redenção especial e particular do seu povo eleito e escolhido, que Cristo realizou na cruz; e também não posso compreender um evangelho que permite que os santos apostatem depois de haverem sido chamados".

Que sistema teológico é este que ficou conhecido pelo nome do grande reformador francês do séc. XVI? Qual é a essência do calvinismo? Quais as verdades distintivas do calvinismo como sistema doutrinário?

Paulo Anglada responde a estas questões de uma forma simples e clara, afirmando que o calvinismo é o evangelho dos grandes pregadores do passado como Agostinho, Lutero, Calvino, John Knox, Tyndale, Latimer, os puritanos, Jonathan Edwards, Whitefield, Newton, Spurgeon, J. C. Ryle, Martyn Lloyd-Jones, Packer e os grandes missionários como John Patton, David Brainerd, David Livingstone, William Carrey e tantos outros.

Este livro aborda temas centrais da doutrina calvinista, como os cinco pontos do calvinismo, a relação entre calvinismo e evangelismo e as implicações práticas do calvinismo na vida cristã.

É necessário ressaltar em nossos dias a importância das antigas doutrinas da graça. Elas podem produzir grande bem. É uma pena que essas doutrinas tenham sido largamente abandonadas. Precisamos considerá-las melhor, precisamos estudá-las mais profundamente, crer firmemente nelas e pregá-las com convicção, ousadia, sinceridade e graça, para o bem da Igreja, para a conversão dos perdidos e para a glória do nosso Deus.

Ao SENHOR pertençe a salvação! (Jonas 2.9)

Loja virtual da Editora Os Puritanos: http://www.puritanos.com.br/

3 de nov de 2010

MULHERES FIÉIS E SEU DEUS MARAVILHOSO

Queridos Leitores,

Dando seguimento à sugestão de biografias cristãs para vocês, hoje trago um excelente livro contendo biografia de cinco mulheres cristãs: “Mulheres Fiéis e Seu Deus Maravilhoso”.

O livro foi escrito pela Sra. Noël Piper, que é esposa do Sr. John Piper (grande pregador reformado da atualidade). Trata das histórias de Sarah Edwards, Lilian Trotter, Gladus Aylward, Ester Ahn Kim e Helen Roseveare.

Se você é uma leitora, certamente irá se identificar com alguma dessas cinco mulheres, ou com todas, principalmente se possui uma vida de incessante busca por fazer a vontade de Deus. Um exemplo disso ocorreu quando eu li o livro. Emocionei-me em perceber que, diante da nossa imperfeição em servir a Deus, mesmo assim Ele cuidadosamente aperfeiçoa nossa vida em santificação. Ele cuidou daquelas mulheres e continua cuidando de cada um de nós, hoje.

E se você é um leitor, poderá compreender um pouco da mente da mulher cristã, que trilha prosseguindo para o alvo (é a deixa, inclusive, para conhecer um pouco do mundo feminino que a maioria dos homens costumam achar complexo, rsrsrs).

Com capítulos pequenos e leitura dinâmica, o livro enfatiza a cada crente, de forma prática, aquilo que Jesus afirmou em Mateus 16.24: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”.

Adquira aqui

30 de out de 2010

NOS DESERTOS DA VIDA

“O que torna belo o deserto é que ele esconde um poço em algum lugar” – Saint Exupéry

Eu me lembro como se fosse hoje, de uma frase que disse no ano de 2007 enquanto dirigia (não é loucura da minha parte, mas às vezes falo sozinho): “Tudo me vai bem nesses últimos tempos. Que maravilha essa vida!”. Até me lembrei de Jó: "E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam, e bebiam vinho, na casa de seu irmão primogênito, que veio um mensageiro a Jó, e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pastavam junto a eles;"
De repente... - Jó 1:13-14

Eita vida boa levava Jó e seus filhos! Até seu gado e seus jumentos viviam na “vida mansa”. Era a minha também.

Mas de repente, nuvens escuras sobrevieram, de modo que, enfrentei crises em todas as áreas da minha vida. Tudo ficou instável como se fosse areia movediça.
Eu não era Jó, mas entendia que era vontade de Deus que eu passasse por tudo aquilo.

Mas não é o simples entender que é vontade de Deus, que nos faz vencer as provações. Esse livro de Marcelo Aguiar me ajudou muito a prosseguir minha caminhada no deserto daquele ano. Alias, não só a mim, já que o emprestei para muitos amigos.

Dar-lhe-ei uma palhinha de um dos assuntos abordados pelo autor, para você perceber a riqueza deste livro.

Um dos assuntos é crise no casamento. Marcelo Aguiar faz uma analogia entre o casamento e aquele poço de Isaque em Gn 26. Lembra-se?
Os invejosos filisteus costumavam entulhar os poços nos tempos de Abraão, para que eles não prosperassem (ter água era ter prosperidade). Naquele posso entulhado, juntou todo tipo de praga, insetos e escorpiões que parecia não valer mais a pena. Mas um dia, Isaque resolveu remover todo o entulho e resgatar o poço. E o texto diz que feito isso, foi encontrado nada mais nada menos que água naquele poço esquecido. A água na analogia de Aguiar significa o amor, e apesar de todo o entulho jogado sobre um casamento, feito pelo casal ou por pessoas invejosas, quando há um desejo de resgatar um casamento, no fim do poço, o casal encontrará o amor. Diferente de uma novela global que diz que quando as coisas vão mal, melhor é o divórcio, porque acabou o amor.

Ele aborda sobre 10 desertos: Casamento em crise; Velhice; Enfermidade; Necessidade; Luto, Injustiça; Viuvez; Desilusão amorosa; Conflitos de gerações e Crise Espiritual.

Querido leitor... esse não pode faltar na sua estante!

Onde comprar? Shopping Betânia

27 de out de 2010

"O Jesus que eu nunca conheci" P. Yancey

O Jesus que eu nunca conheci – Philip Yancey

Querido leitor, o que vem à sua cabeça quando falamos de Jesus Cristo?
Basicamente pensamos: Ele é o Filho de Deus que veio ao mundo, morreu por nossos pecados e ressuscitou ao terceiro dia...não é!?
Philip Yancey, um renomado autor americano, em seu livro “O Jesus que eu nunca conheci”, consegue expressar profundamente e com clareza, as entrelinhas do que os evangelhos nos falam a respeito de Jesus Cristo.
Jesus é apresentado como humano, mas diferente dos outros seres humanos, um Jesus muito além da manjedoura, em Belém; e antes da crucificação, em Jereusalém. Nos mostra um Jesus querido e amado pelos seus discípulos, humilde, carismático, educado, alguém que foi capaz de atrair multidões com sua personalidade singular e seus ensinamentos,enfim um Jesus que viveu entre nós.
O livro é subdivido em três partes: "Quem Ele era", "Por que Ele veio" e "O que Ele deixou para trás". São envolventes fatos que autor narra, nos proporcionando diversos momentos de reflexão. É a magnitude dos propósitos de Deus sendo mais expandidos diante dos nossos olhos.

"Não há nada que façamos de melhor ou pior,que faça DEUS nos amar + ou -"

Que o amor de Cristo nos acompanhe.
Tenha uma boa leitura!

Adquira sua cópia aqui: http://philip-yancey.comprar-livro.com.br/livros/1857367108

Por: Ana Cláudia de Souza

22 de out de 2010

KIT LIVROS INFANTIS GRATUITO

Bom dia pessoal!

Quero aproveitar o espaço hoje apenas para dar uma dica, pra você que tem filho pequeno, irmãozinho, sobrinho enfim.

O Banco Itaú está com uma campanha muito legal de incetivo a leitura, digna de nossos elogios.
a campanha consiste na distribuição GRATUITA de livros de histórias infantis.
Interessante né.

Entrem no site e peça o seu kit. Incentiva a criança a ler desde cedo.

Abraço e bom fim de semana.

16 de out de 2010

Meu coração nas mãos de Deus - Sharon James

Olá, querido (a) leitor (a),


Em Mateus 28.18-20, Jesus nos dá uma árdua tarefa para com a multidão de filhos que ainda estão na escuridão das trevas e precisam ser chamados para a maravilhosa luz. São quatro ordens que não podem sair da mente do povo de Deus: Ide, fazei discípulos, batizando-os e ensinando-os a guardar.
Gostaria de dá uma atenção especial àqueles que têm manifestado desejo ardente no coração de trabalharem na tarefa missionária. Tenho muitos amigos e amigas cristãos que compartilham esse sonho comigo. E é para eles, especialmente, que recomendo o livro “Meu coração nas mãos de Deus: A vida de Ann Judson, na Birmânia”, de Sharon James – Ed. Fiel. De qualquer forma, o livro é recomendado a todos nós, visto que essa ordem (pregar o Evangelho) é para toda Igreja (e envolve todas as áreas da vida).
Ann Judson era a esposa de Adoniram Judson, e juntos, foi um dos primeiros casais americanos a encarar a vida missionária na Ásia do séc. XIX, fortemente marcada pela idolatria e violência. A vida deles foi de intensa perseguição cristã, mas também de muita esperança, pois o bom de ser cristão e passar por provações, é saber que uma vida gloriosa e livre do pecado nos está reservada no céu, onde Jesus e seu Pai trabalham até agora.
O livro serve de inspiração para todos quantos desejam viver uma vida de piedade e santidade reverentes a Deus. É de grande encorajamento para aqueles que desejam cumprir a ordem do Mestre de ir por todo mundo, pregando o Evangelho a toda criatura. Boa leitura!

13 de out de 2010

PORQUE PROSPERAM OS ÍMPIOS?

Esta semana me encontrei com um amigo e este não estava tão bem. Conhecendo superficialmente seu problema dei-lhe um conselho não tão específico, mas válido. “Em meio às lutas, tendemos a ver as coisas numa tonalidade cinza, embaçada. Fique perto dos amigos, pois nestes dias de cegueira, eles te ajudarão a, pelo menos, enxergar as coisas como elas realmente são”.
Isto influenciou o meu olhar sobre minha estante. Vi lá um título que muito ajudou na minha maturidade cristã, e quero compartilhar com vocês.

O Título “Por que prosperam os ímpios?” de D.M Lloyd Jones, parece de longe um tema para aqueles crentes mais fracos, que não aceitam a vontade de Deus, tão puramente e simplesmente.
Se você pensou assim, então me enquadrou neste grupo, juntamente com milhares de outros crentes e inclusive do salmista que é a inspiração deste livro. (Mas nós lhe perdoamos por isso, rs).

O Salmista é Asafe. Um homem como você e eu. Com seus questionamentos inquietantes sobre as “injustiças da vida”. Porque o homem mau vive em segurança, bons negócios, boa saúde, enquanto que o homem de Deus vive algumas vezes até na penúria? Se isso já lhe passou pela cabeça, sugiro de imediato, duas leituras: Salmos 73 e, logo em seguida, este livro: “PORQUE PROSPERAM OS ÍMPIOS?”.

Para mim, uma das grandes sacadas deste livro é a forma de resolver o conflito. Livro que não apresenta opções para dar cabo do problema, não é livro. Pode ser no máximo um fórum de discussão transcrito. Mas este mostra não apenas uma opção viável. Ele é certeiro, contundente.

Quando o salmista estava no ápice de sua crise, teve uma brilhante idéia: [...] entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles. Salmos 73:17.

Caro leitor, o que vem depois disto fica por sua conta, nessa excelente indicação de leitura.

9 de out de 2010

Em seus passos... O que faria Jesus?



Shalom leitores! Aqui vamos nos para nosso terceiro dia de publicação, convictos de que nosso Deus tem nos ajudado nesta obra que de alguma forma pode influenciá-los a crescer espiritualmente!! Meus caros, leiam leiam e leiam pois nao há deleite melhor do que adquirir conhecimentos e poder compartilha-los, ainda mais quando se tratam das coisas do Reino.
.................................................................................................................................................................


Ei, leitor! É voce mesmo! O que voce acha que Jesus estaria fazendo neste exato momento, se Ele estivesse em seu lugar? Certamente uma pergunta como essa poderia afetar a sua realidade, e sua motivação pela vida. Foi exatamente com essa pergunta que um bairro em Raymond, EUA, foi local de um dos maiores avivamentos espirituais da historia.
Escrito por Charles M. Sheldon, o livro “EM SEUS PASSOS... O QUE FARIA JESUS?”, narra a historia verídica do Rev. Henry Maxwell, pastor da Primeira Igreja Batista de Raymond, que desafiou as suas ovelhas a durante um ano não fazerem nada senão aquilo que acreditassem que, em seu lugar, Jesus faria. E para terem certeza de que obteriam a resposta correta, eles sempre questionavam a si mesmos: Em meu lugar, o que Jesus faria?
Essa maravilhosa leitura foi considerada a nona literatura mais vendida da historia e proporciona entretenimento, reflexão e desafios raramente encontrados na literatura cristã!



"Tudo por Jesus, tudo por Jesus,
Todo o meu ser foi liberto do pecado,
Todos os meus pensamentos, e todas as minhas ações,
Todos os meus dias, e todas as minhas horas.”


Para adquirir o livro visite o site: http://www.mundocristao.com.br/hotsites/emseuspassos/


por: ana claudia de souza

8 de out de 2010

O Peregrino

Olá! Primeiramente saúdo você por mais uma visita em nosso site. Nossa esperança é que cada contribuição dada sirva de encorajamento e edificação para sua vida espiritual. E, ainda, que o centro de nossas referências não seja, nunca, o antropocentrismo (homem no centro) e sim o cristocentrismo (Jesus Cristo no centro de todas as coisas). Soli Deo Gloria!
------------------

Hoje nós vamos falar sobre o segundo livro mais lido na história da literatura cristã. Perde apenas para a Bíblia (que foi indicada no post inaugural do nosso Baluarte Literário). É tão lido que ultrapassou os limites do cristianismo e foi bastante difundido na literatura secular, e, ainda, no ramo da cinematográfica. Então, estou falando de "O Peregrino", de John Bunyan.

O livro relata a história de Cristão. Um homem que caminha com um grande fardo em sua vida (pecado), num caminho difícil, para chegar a eternidade, que nós chamamos de glorificação. Não há leitor que não se identifique com Cristão, com certeza você também se identificará!

Em rápidas palavras, a biografia de Bunyan é marcada por anos de intensas tribulações. Desde a prisão até a agonia de assistir, da janela da prisão, sua filha, cega, mendigando o pão de cada dia. Um homem de Deus vivendo situações assim por causa do seu amor por Jesus, que grande legado e exemplo de como o cristão deve se portar deixou para nós!
Boa leitura pra você!
-------------------
Como adquirir o livro “O Peregrino” – Clique aqui
Por: Anninha

7 de out de 2010

Começando com a leitura certa.

.......................................................................................................................
Primeiramente quero dar boas vindas aos nossos leitores. Gostaríamos que todos se sentissem como em seu cantinho favorito de leitura. Porém, alertamos que arrancamos as placas de nossa biblioteca de "Matenha o Silêncio". Fique a vontade para comentar, dialogar conosco. Ficaremos felizes com a sua contribuição.
Obrigado pela visita. Volte Sempre!
............................................:::::::::::::::::::::::::............................................
“Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” Josué 1:8
Uma pesquisa realizada pelo instituto Pró-Livro neste ano, constatou uma leve melhora numa das maiores deficiências do brasileiro, a leitura. O brasileiro está lendo em média 3,4 livros por ano. Ainda é um dado muito longe do ideal, considerando o desperdício do tempo com outros entretenimentos.

Fonte: http://www.funarte.gov.br/portal/wp-content/uploads/2010/01/posts-literatura-201001-retratos.jpg

Não há dados oficiais de como se comporta o povo evangélico em relação a isso, mas creio que lê muito mais, por causa do ambiente em que este está inserido. Afinal, baseamos nosso viver em um livro.

Pois bem. Se boas indicações de livros podem contribuir para a elevação desses números, vai aqui minha primeira indicação.

Com muita justiça, o primeiro livro citado neste blog será a Bíblia Sagrada.
Não é por meros motivos dogmáticos. Não!

Há algo de mais especial neste livro. Livros cristãos fazem algumas citações uns dos outros. Isto é comum. Mas é regra que todos citem a Bíblia Sagrada.

Tenho em minha estante um livro chamado "O Código de Hamurabi". É um dos escritos mais antigos que formam um conjunto de leis. Mas lendo-o, é estranho como as noções de direito ficaram tão ultrapassadas, a ponto de nenhuma das leis deste livro serem reaproveitadas ou adaptadas. Pois a transformalção dos modos de vida da sociedade através dos tempos transformam também os seus princípios. Mas... mas esse livro, ele não perdeu em sua essência nenhuma palavra do que foi escrito. Até aqueles sacrifícios dos levitas. Como são tão atuais quando aceitamos o sacrifício de Cristo para salvação da nossa alma, faz tanto sentido! Isso dá à Bíblia proeminência em relação aos outros livros.

Desde o dia em que Deus orientou Josué dizendo “[...] medita nele de dia e de noite[...]”, talvez tenha se passado mais de 1 milhão 262 mil e 900 dias e noites (3.460 anos), e em nenhum dia ou noite nesse espaço de tempo, em que, qualquer leitor meditou nele, deixou de encontrar consolo, exortação ou até mesmo libertação.
E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. João 8:32

Caro leitor...
Leia um bom livro de vez em quando. Mas a Bíblia Sagrada... Medita nela de dia e de noite.
Ass: .¢℮ℓՖØ

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...