26 de out de 2011

Cristianismo Criativo? - Steve Turner

Pessoal, bom estar aqui outra vez.

No meio cristão reformado da atualidade, muito se tem ouvido sobre o conceito de “Cosmovisão Cristã”, para este, entendemos a importância de ver Deus em todas as áreas da vida.

Mas parece que isto é algo difícil para a maioria das pessoas, sobretudo por costumarmos fazer distinção entre a nossa cultura como aquilo que é de Deus e aquilo que não é. Parece difícil enxergar Deus, por exemplo, nas artes, e em tudo aquilo que denominamos secular.

É por isto que eu quis indicar o livro “Cristianismo Criativo” pra vocês. O autor é Steve Turner, jornalista que é conhecido por freqüentar o mundo das artes e da música no cenário inglês. Seu objetivo no livro é enfatizar que tendo Deus como Senhor da vida e da criação, podemos e devemos enxergá-lo nas artes seculares porque ela é manifestação da Sua graça na vida das pessoas.

O livro também possui um viés biográfico, visto que conta muitas experiências observadas ao longo da profissão, sendo a maioria delas do grupo musical U2, bastante conhecido no mundo da música.

A leitura é prazerosa e nos faz pensar numa dimensão mais abrangente do mundo, tendo como foco a glorificação do Senhor Jesus Cristo, é claro! Espero que gostem da leitura tanto quanto eu gostei.

Adquirir aqui

21 de out de 2011

JOHN PIPER - O AUTOR E SUAS OBRAS


Neste mês de outubro, o Brasil recebeu um dos mais conceituados escritores, e também pregador, John Piper.

Ele pregou na conferência Fiel para líderes em Águas de Lindóia, na Mackenzie em São Paulo, e no Rio Centro, Rio de Janeiro. Tive a oportunidade de ouvi-lo no Rio de Janeiro com o tema “O propósito mais importante do mundo: A Alegria”. Piper usou nessa preleção algumas idéias do livro “Plena Satisfação em Deus”. E certamente de outros livros que, eu confesso não ter lido. Este assunto é sua especialidade, publicada em uma variedade incrível de outros títulos:


Um dos aspectos mais interessantes, que Piper afirma sobre a “Alegria” é que esta tem caráter de mandamento da parte de Deus. Quando ele diz “Celebrai com jubilo ao Senhor...” “Alegrem-se os céus, regozijem-se a terra...”, são frases imperativas, não é uma simples recomendação. Essa afirmação contradiz o que muitos cristãos pensam sobre a “Alegria”, alguns inclusive chegam a pensar que isto é coisa guardada para o céu, e que a busca disso é pecado. Isso porque a “Alegria” é muitas vezes associada com prazeres perniciosos dessa vida.

Piper ainda faz uma aplicação entre o texto de Deuteronômio 28:47-48 com as conseqüências para o cristão que descumpre a ordem do Senhor de servi-lo com alegria:

“Porquanto não serviste ao SENHOR teu Deus com alegria e bondade de coração, pela abundância de tudo. Assim servirás aos teus inimigos, que o SENHOR enviará contra ti, com fome e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te tenha destruído.”

Mas isto é só uma palhinha para incentivá-lo a adquirir literaturas desse ótimo autor.

Sorteio

Vamos aproveitar a oportunidade para sortear o livro, que deveria ser sorteado em Setembro, que não ocorreu por causa da greve dos correios. E claro, sortearemos um lançamento do autor em questão, "FINALMENTE VIVOS":
Sorteio Outubro from Celso de Souza on Vimeo.

14 de out de 2011

O evangelho de hoje: Autêntico ou Sintético - Walter J. Chantry

Se algum desconhecido lhe perguntasse: “como faço para ir para o céu?”, o que você responderia? Tente responder essa pergunta agora, pare de ler um instante e responda a si mesmo o que você falaria? Quais seriam os tópicos da sua fala?

Eu confesso que o que eu falaria mudou significativamente depois de ler esse livro. Eu já presenciei e participei de diversas campanhas e eventos de evangelização. Nesses eventos centenas de pessoas tomaram uma “decisão por Cristo”. Não é fácil ler um livro que critica o que aceitamos. Mas eu aconselho, dê uma chance a esse livro, não o rejeite de cara. Seja um bereano!

Nossa igreja tem uma congregação em um bairro pobre de São José dos Campos. A um quarteirão de distância existe uma avenida chamada “Av. dos Evangélicos”. Nela existe uma igreja em cada esquina (estou exagerando, claro). Interessante que existe a mesma quantidade de bares. No bairro predomina a violência, a imoralidade, as drogas, o alcoolismo, etc.

Por que há tantos “evangélicos” e tão pouca mudança de vidas e da sociedade?

A provável resposta é que a tradição, a falta de um ensino bíblico e o pragmatismo (seguir uma “receita de bolo” para alcançar um resultado) tem dominado as igrejas evangélicas.

Walter Chantry diz no livro: “Temos herdado um sistema de pregação evangelística que não é bíblico. Esta tradição nem mesmo é antiga ... São inovações recentes. Pior ainda, não procedem das Escrituras...”

O autor é especifico para o método de evangelização atual: “Você acredita que é um pecador? Acredita que Cristo morreu em favor dos pecadores? Você aceita a Jesus como seu Salvador pessoal? Agora, faça essa oração junto comigo... Então, o evangelista ... assegura ao pecador, com toda a autoridade de Deus, que ele acaba de ser salvo... Assim, eles demonstram que ‘aceitar a salvação’ requer somente uma resposta externa e uma simples oração... Esta prática [é] herética e destruidora de almas...”

Mas Deus, na sua misericórdia, pode salvar pessoas assim. O Pr. Paul Washer na famosa “pregação chocante” diz que Deus não salva por causa desse tipo de pregação, mas apesar desse tipo de pregação.

Mas como devemos evangelizar então? Como Jesus e os apóstolos evangelizavam? Como são as conversões na Bíblia?

No capítulo 10 do evangelho de Marcos, o próprio Jesus responde àquela primeira pergunta no início desse post. Através da história do “jovem rico”, Walter Chantry vai explicar como evangelizar biblicamente, expondo os “elementos essenciais à pregação do evangelho, os quais podem ser encontrados em todas as partes do Novo Testamento.”

O livro é útil também para analisarmos a nossa própria conversão (II Co 13:5).

Recomendo essa leitura. Não tenha medo de buscar a verdade mesmo se precisar quebrar com tradições e paradigmas! Que busquemos a glória de Deus e amemos as almas perdidas!

Você pode adquiri-lo aqui.

7 de out de 2011

SEIS HORAS DE UMA SEXTA-FEIRA - MAX LUCADO


Shalom Leitores,

Essa, de fato foi uma semana bem agitada para mim, e creio que para vocês, leitores, também. E que venha a SEXTA-FEIRA, e o fim de semana! Aproveitar a família, amigos, igreja... NOSSA! É sempre muito bom não é?!

Mas com todo esse corre-corre da vida, fico a pensar, de que realmente vale, tudo o que fazemos nesta vida? Será que algo que fazemos, de fato é alguma coisa para Deus?

Minha opnião, é NÃO! Eu na minha condição de pecadora nascida de novo, creio que, o que fazemos pela causa de Cristo, não passa do nosso DEVER, e chega a ser o mínimo do mínimo que possamos fazer para aquele que fez tudo por nós. Afinal, estávamos MORTOS em nossos pecados, e ELE nos deu VIDA.

E para relembrar esse MARAVILHOSO AMOR, indico um livro pequeno escrito pelo Rev. Max Lucado, por nome: SEIS HORAS DE UMA SEXTA-FEIRA, que com certeza vai fazer você pensar nas sextas-feiras de um jeito diferente. Não serão mais apenas dias de alívio de uma semana agita, mas também uma LEMBRANÇA de que foi numa sexta-feira que houve o PERDÃO dos seus pecados para sempre. Uma demonstração de verdadeiro AMOR.

O livro narra detalhadamente os acontecimento das 6 horas em que Cristo, passou pela dor de carregar nossos pecados, vale a pena conferir ;]

“Seis horas de uma sexta-feira é uma jornada sublime aos pés da cruz, lugar no qual derrota aparente é transformada em vitória. Ali as lágrimas têm prazo de validade e darão lugar à celebração da alegria. Abra seu coração e encontre descanso e esperança na presença do Senhor.” Max Lucado

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...