29 de mar de 2012

O brasileiro e o hábito de leitura - Pesquisa do Pró-Livro


Boa tarde, caríssimo leitor!

Não poderia te chamar de outra forma, tendo em vista a preciosidade que este título representa para o Brasil, um país que não lê.

Publicada hoje pelo instituto Pró-Livro, esta pesquisa nos mostra dados que não são tão surpreendentes, mas são sempre preocupantes, e nos alertam para o caminho que o Brasil está tomando. Hoje, um comentarista da rádio CBN disse uma coisa interessante. Pensava-se que o problema do brasileiro, de não ler, era a baixa renda. Vivemos tempos em que, a maioria dos brasileiros está passando da classe D para a C. É um reflexo claro da prosperidade financeira do povo. Mas isso não reflete em melhoras nos números da pesquisa, conforme veremos. Veja abaixo que comparado aos países, considerados desenvolvidos, estamos bem aquém: (Clique sobre os gráficos para visualizar em tamanho melhor)
Embora a pesquisa indique que 55% são leitores, foi considerado aqui se ele leu pelo menos 1 livro nos últimos 3 meses:
As regiões do Sul estão com números superiores em relação à média de livros lidos:
Conforme a pesquisa anterior, a leitura continua sendo um dos hobbies de menor interesse dos brasileiros:
É interessante esse dado abaixo porque ele contradiz com o gráfico acima. O brasileiro tem como principal desculpa para não ler, a falta de tempo. Mas ele gasta a maior parte do seu tempo de lazer, assistindo televisão. Consideremos que os programas de televisões gastam em média uma hora, então é um entretenimento que se gasta muito tempo.
Por fim, faço um alerta em especial aos cristãos. Eu sinceramente esperava um dado favorável com relação a este grupo. Não há na pesquisa um relatório detalhado, mas no gráfico “Perfil dos leitores que declaram gostar de ler no seu tempo livre e fazer isso com freqüência”, que você pode ver na pesquisa completa, no link abaixo, aparece os espíritas. Onde estão os cristãos?

Se baseamos nossa fé num livro, e de fato temos zelo por isso, deveríamos ser um grupo a constar nesse gráfico.

Desafio os cristãos a superarem a média. Nossas ações podem influenciar um país. Não podemos fazer pouco caso desses números.

Esses são alguns dos gráficos que achei relevantes (sendo aqueles que não tem a marca do Instituto Pró-Livro, customizados por mim). A pesquisa completa, você pode encontrar no link abaixo:

21 de mar de 2012

Eu disse adeus ao namoro – Joshua Harris

Em uma época em que as cobranças por matrimônio começavam a chegar, decidi passar um tempo sem ingressar um relacionamento amoroso com ninguém. Eu queria enxergar melhor certa vontade de Deus para minha vida e, definitivamente, dificilmente uma mulher não leva em consideração um homem quando traça seus planos.

Foi só eu fazer esse voto, começaram a aparecer rapazes na minha porta. Um deles me colocou em uma situação bem difícil. Ele era um bom amigo e começava a mostrar frutos de uma verdadeira conversão. Tinha fortes indícios de que planejava me fazer uma proposta de namoro. Mas, além de estar firme em meu voto, não me interessava por um relacionamento mais profundo com ele. Reuni minha família e pedi para que ajudassem a evitar situações que o favorecessem “chegar” em mim. Não funcionou. Sem querer, meu pai “armou um esquema”. A ocasião nos daria tempo suficiente para conversarmos sobre todo o Pentateuco! – quanto mais sobre as intenções dele. Fiquei tão irritada que agi com insensatez e, para evitar dizer o constrangedor "Não", naquele dia, tratei meu amigo com indiferença e grosseria. Resultado: o magoei mais do que se tivesse simplesmente recusado sua proposta.

A vida toda, tive orientação sobre relacionamentos, até curso fiz (rsrs!) e sou extremamente grata a meus mentores da adolescência por isso. Mas, até então, nunca tinha ouvido falar de um jovem que havia decidido não namorar por um tempo (Hoje, conheço vários!). E talvez, a ausência desse repertório, tenha colaborado para minha momentânea falta de sabedoria. Eu poderia ter tratado melhor do assunto se tivesse lido Eu disse adeus ao namoro

Normalmente, livros cristãos sobre relacionamentos são escritos por gente “bem sucedida” nessa área. São casais com bodas de prata e cinco filhos bem criados. Mas, Eu disse adeus ao namoro não. Foi escrito por um jovem solteiro*, também desejoso por realizar-se amorosamente e que passava por todas as dificuldades comuns desse quesito. Dá valiosas dicas tanto para quem não está em fase de relacionar-se quanto para quem está. Aborda a perspectiva do romance de forma bíblica e direta, e é um consolo inefável àqueles que se decidiram por evitar o envolvimento amoroso por um tempo. É uma leitura tão leve que parece uma conversa com um amigo íntimo.

Você verá que o embasamento bíblico de Josh é bem coerente. Mas claro, não é obrigado a concordar com todas as suas propostas quanto à prática. Afinal, há diferentes formas santas de guardar os mesmo princípios bíblicos. O cerne do livro é o senhorio de Cristo na vida de um crente. A partir dessa consciência, você molda seus relacionamentos ou a falta deles.

Conheço esse livro a cerca de oito anos, mas somente o li há pouco tempo, depois de um amigo muito insistir em falar da leitura que o havia feito enxergar o namoro cristão com outros olhos. Adivinha que amigo foi esse? Rsrsr! 

Apesar de, hoje, o período do meu voto já ter acabado, foi uma excelente “reciclagem” ler algo que falasse tão claramente acerca de uma decisão tão importante para um jovem cristão. Desafio você a não se identificar com as histórias e fatos compartilhados aqui. E digo sim, que deixe o preconceito de lado e dê uma chance a esse livro, que já se tornou clássico e tem ajudado muitos jovens em sua maturidade rumo ao altar. Mas leia todo, do prefácio ao ponto final, não desista no meio do caminho. Acredite: cada página é importante para a seguinte. 
  
Se recomendo? Veementemente! 

*Quando o livro foi publicado, em 1997, Pr. Joshua Harris tinha 27 anos e estava solteiro. Hoje, é casado com a cantora Shannon Harris e tem três filhos.

13 de mar de 2012

Sociedade sem pecado - John Macarthur


Shalom Leitores,
Estes últimos dias, tenho estado um pouco atarefada tentando elaborar meu trabalho de conclusão de curso, o que exige muita dedicação, esforço, e muita leitura! Quem já passou por essa fase na vida discente, sabe como é desgastante, porém, prazeroso!
 Estudando a respeito do pecado, nas últimas semanas, percebi que muitos de nós, cristãos, estamos com a mente cauterizada pelos acontecimentos deste século, modismos, tecnologias... O que pode nos levar a uma derrotada sem volta! Pois, se não há uma consciência ativa nas pessoas, principalmente em nós, os ditos filhos de Deus, a tendência é afundar mais e mais em nossas perversidades, pois não há nenhum bem em nós, senão pela misericórdia do Eu Sou!  A humanidade meramente está acumulando contra si ira para o dia da ira, e nós o que estamos fazendo?
Muito sabiamente, Ryle afirma que a “tendência do pensamento moderno é rejeitar dogmas, credos e topo tipo de limite da religião. Pensar de modo nobre e sábio é não condenar qualquer opinião que apareça, e declarar que os professores mais sérios e inteligentes são fidedignos, não importando o quanto suas opiniões possam ser heterogêneas e mutuamente destrutivas. Tudo, ironicamente, é verdadeiro e nada é falso! Todos estão certos e ninguém está errado! Provavelmente todos serão salvos e ninguém será perdido!” Nossa sociedade está relativizando o pecado! Realmente é o fim do tempos!
Caro leitor, cuidado com o seu pensar, lembre-se que sua consciência, deve ser educada e sensível ao que Deus tem para lhe falar, os eleitos devem ser “um monitor de Deus”. Saiba, ainda, que a única maneira de encontrar o verdadeiro perdão e libertação dos nossos pecados é pelo arrependimento humilde e contrito. Devemos entender nossa compulsão por pecar, o que se torna câncer da vida espiritual!
Para compreender mais sobre este assunto, indico-lhes um dos livros mais interessantes que li nestes últimos dias: Sociedade Sem Pecado, escrito pelo renomado autor John MacArthur Jr, publicado pela editora Cultura Cristã. Uma leitura fascinante que desperta nossa consciência para viver de modo digno do evangelho de Cristo.
Adquira aqui: Loja Virtual Erdos

7 de mar de 2012

O que é uma Igreja Reformada?

Olá, queridos leitores!

Você já se perguntou: "*O que é uma Igreja Reformada?*" Neste livro o Rev. Malcolm Watts nos apresenta uma breve introdução sobre a história, seus distintivos doutrinários, e expõe como os reformados vivem suas crenças em cada esfera da vida, desde as suas devoções particulares ao culto na igreja. A Igreja Reformada não é nenhuma igreja nova, é a Igreja única de Jesus Cristo, porque Ele só tem uma Igreja em toda a Terra, embora ela seja constituída de várias igrejas locais entre todos os povos e nações. O nome poderia ser simplesmente "Igreja". Mas, o adjetivo "Reformada", foi acrescentado, a partir do século XVI, para distinguir a porção da Igreja que voltou às suas orígens bíblicas, da porção que preferiu manter características adquiridas no decorrer da Idade Média, por força do sincretismo religioso. A Igreja Reformada é a Igreja Católica Apostólica Reformada. É Católica, porque entre todos os povos ela sustenta uma doutrina única; que é o ensino dos Apóstolos, preservado no Novo Testamento. Por isso, a Igreja Reformada é também Apostólica.

A Igreja Reformada confessa todas as doutrinas do "Credo Apostólico", que por volta do século V já era amplamente conhecido na Igreja. Entretanto, rejeita diversas crenças e práticas, que não possuem sustentação bíblica, surgidas especialmente na Igreja Medieval. Entre estas encontram-se: o culto aos santos mortos, imagens e relíquias, as orações em favor dos mortos, o purgatório e a salvação por méritos pessoais do pecador.

A Igreja Reformada crê que a unidade da Igreja, que é um corpo, cuja Cabeça é Cristo, não se manifesta em uma organização hierárquica regional, nacional, ou mundial; porém, em sua sujeição à Escritura Sagrada (Bíblia) como a fonte suprema de toda doutrina sobre as relações entre Deus e o ser humano.

Pelo exposto, a Igreja Reformada rejeita como doutrina sobre as relações de Deus com o homem qualquer crença ou prática que não seja biblicamente sustentada. E, rejeita também, com igual zelo, como fonte de conhecimento das relações de Deus com os homens, qualquer revelação que não seja a própria Bíblia.

Considerando que a Salvação dos pecadores para o eterno relacionamento com Deus é o tema dominante da Bíblia, é importante destacar que a Igreja Reformada se caracteriza pela doutrina bíblica da Salvação pela graça de Deus, mediante a fé do pecador, na justificação que há em Cristo Jesus somente (Rm 4.25-5.1; Ef 2.8-10). Esta fé salvadora não é uma habilidade natural do pecador, mas um dom de Deus, mediante a pregação do evangelho (Rm 10.13-17).

Nenhuma igreja é "à prova de corrupção", ou seja qualquer igreja está sujeita a perder a pureza doutrinária. Contudo, assim como o alvo da Reforma do século XVI foi a recuperação da pureza doutrinária da Igreja de Cristo, o alvo da Igreja Reformada, hoje, deve ser a manutenção desta pureza. O nome de uma igreja, entretando, não é uma garantia de incorrupção. Portanto, até uma Reformada, precisa tomar muito cuidado para não perder a pureza, isto é, a fidelidade. Por isso, uma igreja Reformada é carcterizada por seu empenho por manter a Bíblia no centro de sua vida e culto.

Neste livro o autor nos apresenta os seguintes temas:
1. Os distintivos de uma Igreja Reformada
2. As ênfases doutrinárias de uma Igreja Reformada
3. A visão correta da adoração
4. O governo da Igreja
5. A Disciplina Bíblica
6. O Evangelismo Reformado
7. Mantendo a Fé Reformada

Para ambos os crentes que estão apenas descobrindo a fé reformada e aqueles que precisam ser lembrados de seus distintivos, este manual oferece aos leitores respostas sólidas para a questão do que significa ser reformado. Boa leitura!

Adquira através da Loja virtual da Reformation Heritage Books

-----------

Prazados,

A indicação lida é do nosso colaborador Deyvid Vilela. Gostaria de acrescer apenas que, nem toda igreja Reformada carrega este nome em sua identidade, assim como existem algumas que se dizem Reformadas mas na verdade possuem vertentes pentecostais, que é contrária ao que se propõe as Doutrinas da Graça.

Assim, entendam por Igreja Reformada citada no livro e na indicação, como aquela que professa e prega a Doutrina dos Apóstolos, aquela claramente expressa nas Sagradas Escrituas.

Cordialmente,
Anna Barros

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...